terça-feira, 23 de março de 2010

"Sonhos de amor no Outono"

Folhas de outono…
…a cair, displicentes, pelo chão,
Como os sonhos que se foram,
Levando tuas lembranças,
Pra bem longe, em dispersão,
Deixando ao desamparo
Um amargo coração…

Folhas de outono…
Vocês se vão… já tiveram
Um papel na natureza,
E ainda continuam
A espalhar tanta beleza…
Mas meus sonhos, insensatos,
Mal cumprindo seu papel,
Abandonam-me à tristeza,
Se esparramam com o vento,
Arrastando a esperança,
Espalhando a incerteza…

Folhas de outono…
… que em ciclos voltarão,
No vai-e-vem das estações,
Em divinas produções,
Noutros toques de magia,
Em meigas transformações…

E meus sonhos?…

Se os meus sonhos…
…quem me dera…
Retornassem a meu viver,
Como as folhas de outono
E as cores da primavera…
Se... em meu outono interior,
Os sonhos reacendessem
As chamas de outrora, amor...
Certamente, então, fariam
Um milagre acontecer:
Renascerem minhas crenças,
Cessar o meu padecer…

 "Oriza Martin"
Fonte: http://www.orizamartins.com/
"Os de valsa ou aqueles bem recheados na padaria. Assim poderia me deliciar o ano todo e minha vida seria um doce sonho.
Duro seria me livrar das gordurinhas depois, mas isso deixo para os proximos capítulos."

14 comentários:

  1. lindo poema.

    venha conhecer meu blog.

    é de humor .

    e de graça!

    um abração carioca.

    ResponderExcluir
  2. olá, tem selinho no meu blog, passa lá pra pegar!!

    beijocas
    sermulhereomaximo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Irene
    Que poema lindo!
    Como aí vocês entraram no Outono vem mesmo a propósito, não é mesmo?
    Parabéns pela escolha e obrigada pela partilha.

    Beijinhos e noite feliz.

    OLHAI OS LÍRIOS DO MACUÁ

    ResponderExcluir
  4. Sonhos, quem os não têm?
    Lindo poema.
    Bom fim de semana
    bjs
    Maria

    ResponderExcluir
  5. Irene,muito linda essa poesia cheia de sonhos de outono!Adorei te ler!Bjs,

    ResponderExcluir
  6. E qm nao vive de snonhos nao é mesmo???

    bjos

    ResponderExcluir
  7. Aii que poema maravilhoso!!! Eu notei um detalhe: a imagem que você utilizou é bem nostálgica (pin-up e o cara fardado bebendo uma garrafa antiga da coca-cola hehehehe...) AMEI!!!!!!!!

    Bjossss

    ResponderExcluir
  8. Cântico de Lívia

    Alma gêmea de minha alma
    Flor de luz de minha vida
    Sublime estrela caida
    Das belezas da amplidão...

    Quando eu errava no mundo
    Triste e só, no meu caminho,
    Chegaste, devagarinho,
    E encheste-me o coração.

    Vinhas na benção das flores
    Da divina claridade,
    Tecer-me a felicidade
    Em sorrisos de esplendor!

    És meu tesouro infinito.
    Juro-te eterna aliança
    Porque sou tua esperança,
    Como és todo meu amor!!
    Alma gêmea de minha alma
    Se eu te perder algum dia
    Serei tua escura agonia,
    Da saudade nos seus véus...

    Se um dia me abandonares
    Luz terna dos meus amores,
    Hei de esperar-te, entre as flores
    Da claridade dos céus.


    - Emmanuel / Chico Xavier -

    Beijos de coração prá coração!
    M@ria

    ResponderExcluir
  9. Estou aqui para te oferecer meu award para os seus 3 blogs e em especial para este.

    Brigada por fazer coisas assim

    M.a

    ResponderExcluir
  10. Olá Irene, como estás querida? Passando por aqui, me deparei com este lindo poema de outono. Adorei!!!

    Bjos!!!

    www.toaletefeminino.blogspot.com
    www.prinkgirl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Boa noite, Irene.
    Está cada vez mais difícil chegar até você. O blog custa muito para abrir.
    Bem, lindo o seu post, ainda bem que tudo não passa de um ciclo.
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja um bom feriadn para você.
    Fique na Paz.
    saudações Florestais !

    ResponderExcluir
  12. "Diante da vastidão do tempo e da imensidão do
    universo é um imenso prazer dividir um planeta
    e uma época com você."

    Carl Seagan

    Bom e abençoado FDS.....Beijos poéticos!!

    ResponderExcluir
  13. Que postagem linda e a imagem idem! um beijo e tudo de bom nessa Páscoa!chica

    ResponderExcluir
  14. Irene realmente um poema digno de estação tão bonita.
    Um beijo

    ResponderExcluir